terça-feira, 5 de agosto de 2014

TRAIÇÃO

Penso que quem decide se foi traído ou não somos nós mesmos, sim nós mesmos é quem decidimos se a atitude do outro é, ou não considerada uma traição.
Exatamente por este motivo é que é tão difícil entender quando assistimos um casal relevar coisas graves e outros romperem em definitivo por coisas aos nossos olhos tão menores.
Não vou entrar no mérito desta questão, se é certo ou errado, perdoável ou não, aceitável ou até mesmo uma tendência deste tempo tão permissivo que vivemos. A busca neste momento é somente pelas definições e não pelas razões, até porque cada um tem as suas.
Uma traição nada mais é do que um comportamento contrário ao combinado previamente. Entenda! Previamente.
O que não aceitamos geralmente é que o outro aja de forma contrária daquela imposta, e aceita.
A traição é muito mais ampla do que se imagina, ela acontece principalmente dentro das relações amorosas, mas também está presente entre amigos, relações comerciais e principalmente entre familiares.
Entre família geralmente as traições são mais profundas e difíceis de serem superadas, e por quê? Simples, porque esperamos que aquelas pessoas que conhecemos a nossa vida toda e que também nos conhece intimamente não venha a fazer nada para nos prejudicar, esse é um pacto social que assumimos, e por isso quando ele se quebra costuma ser tão doloroso.
Se um sócio rouba o outro é caso de policia e maldições para 30 gerações, mas quando o gatuno é alguém da família, pais e filhos, tios e primos, nossa, aí a situação é outra. Os valores geralmente ficam para segundo plano e um cenário de guerra se forma.
Por que é diferente? Porque não se espera atitudes de traição de nossos iguais, escolhemos certas parcerias exatamente para minimizar certos riscos de infortúnios e decepções.
Na amizade o golpe costuma ser profundo também, confidenciamos segredos e fraquezas com certas pessoas, os amigos, e deles jamais esperamos que aja em desacordo com nossos interesses.
Quando seu inimigo não lhe conhece ele dificilmente atingirá você com eficiência, mas quando esse inimigo já foi seu amigo, ele conhece profundamente cada traço de sua personalidade.
 Eis o segredo da arte da guerra, conhecer seu inimigo, seus medos, suas falhas e seus fantasmas, por isso as traições neste campo são extremamente complicadas.
Existem entre os amigos verdadeiros códigos de conduta, esses códigos são construídos com o passar do tempo e geralmente são intocáveis.
Na relação de amizade que mantive com algumas garotas na adolescência era simplesmente proibido flertar com o pretendente, ou com o pretendido da outra, seja esse do passado do presente ou do futuro, até aqueles que não se encaixavam em nenhum desses tempos eram proibidos.
Não houve nenhuma reunião para que isso fosse resolvido e que as cláusulas fossem discutidas, mas era um código de conduta, conhecido e aceito por todas, e é exatamente essa quebra de códigos que eu considero a verdadeira traição, a que dói a que fere de verdade.
Agora entrando em um campo mais delicado, a traição propriamente dita, entre casais.
A traição entre casais é julgada, pesada e medida muito além dos envolvidos. Entre casais além dos códigos estabelecidos por eles, ainda existem códigos estabelecidos pela sociedade na qual estão inseridos.
Quando uma traição acontece o sujeito fica tão irado e se sente tão injustiçado que rapidamente sai em busca de afirmações sobre sua condição, quer contar, quer gritar ao mundo que era a melhor pessoa do mundo e que foi injustiçado traído.
O que acontece? Nem sempre a primeira história é a verdadeira, por vezes essa história se quer existe, mas depois de tanto alarde é impossível voltar atrás.
Neste caso temos um código social para esse tipo de traição, funciona assim, se todo mundo já ficou sabendo você deve romper para manter sua honra, o outro imediatamente ganha um título impronunciável.
 Caso ninguém, ou poucas pessoas ficarem sabendo pode até ser que exista uma chance de perdão.
Mas, quanto aos códigos de conduta de um casal, hoje em dia são tão variados e tão permissivos que é bem difícil determinar a olho nu se a atitude assistida é ou não considerada por aquele casal como desrespeitosa.
Hoje em dia, é muito comum e até necessário, o famoso Happy Hour entre mulheres, sim, saímos sozinhas com nossas amigas, frequentamos bares e bebemos sozinhas.
Em outros tempos o simples fato de uma mulher estar desacompanhada já era sinal de desrespeito com seu par ou até um sinal evidente que o relacionamento havia acabado, mas hoje não mais. Os maridos mais antenados e modernos não se importam.
Os mais inteligentes até apoiam, pois sabem que mulheres que conversam e desabafam com as amigas são mais resolvidas e importunam menos com DR.
Sendo assim se você desconhece os códigos adotados por um casal, evite julgar uma atitude ou outra que você vier a assistir, pois você pode estar diante um assunto muito bem resolvido e passar um carão.
Existem pessoas, por exemplo, que se sentem absolutamente incomodadas que seus pares vejam fotos os vídeos de nudez, enquanto outros aceitam e até compartilham o hobby, evite julgamentos, evite interferir no código de conduta do outro.
Mas o que te ofende? O que te choca? O que é traição para você?
Alguns homens acreditam que o sexo descompromissado não é traição, pelo menos é o argumento que eles usam quando são flagrados.
Particularmente acredito que a traição pode se consumar muito antes do primeiro toque, principalmente se tratando de mulheres.
O que o seu parceiro espera de você? Exclusividade do seu corpo? Isso não é muito difícil, difícil mesmo é deter o monopólio do desejo do outro, isso sim é um desafio, essa sim é a verdadeira fidelidade.
Se nivelarmos a traição com a prática de um crime, se o sujeito não chegar aos finalmente, mas escolher e preparar um local, comprar uma roupa adequada, escolher a pessoa, desejar que aquilo aconteça, mas nada fazer? É traição?
E toda a vontade, e toda a disposição, e o tanto de tempo que se pensou nisso? Se não houve toque se não houve a consumação, então não é traição?
A traição na verdade é definida muito intimamente pelas pessoas, cada um tem seus valores e seus pudores, cada um considera como traição aquilo que o agride, aquela atitude que afronta esses valores.
A fidelidade é muito relativa, o que pode realmente pautar de forma sólida uma relação chama-se LEALDADE, e essa sim é bem fácil de definir, ser leal é uma escolha, você tem tempo e oportunidade para ser leal com o outro, mesmo que a infidelidade já tenha assombrado sua relação, sempre dá tempo de ser leal.
Mesmo que ser leal implique em um rompimento ou em dores grandiosas, isso sim será valorizado, mesmo que demore um pouco.
O que você espera do seu par? Que ele lhe seja fiel dando-te exclusividade do seu corpo, ou que ele lhe seja LEAL, dando-lhe exclusividade da sua vida?
Existem pessoas absolutamente fieis que não são leais, que nunca saíram da linha, mas que transformam a vida do seu par em um verdadeiro martírio e não são capazes de usarem de lealdade e reconhecer que já não fazem bem um para o outro.
E você o que escolheria, prefere lealdade ou fidelidade?